Blog PET

< voltar
22.02.2022 | Cuidados

Doença do carrapato em cães: conheça os sintomas 

Saiba quais são os sinais clínicos e como prevenir a doença do carrapato em cães, uma enfermidade que pode ser bastante séria e incômoda

As hemoparasitoses são doenças causadas por protozoários ou bactérias que atacam as células sanguíneas, causando complicações no organismo do animal, como anemia hemolítica (destruição dos glóbulos vermelhos), diminuição do número de plaquetas, insuficiência renal, entre outras. Dentre as doenças, as que mais se destacam são a Babesiose e a Erliquiose, ambas transmitidas por carrapatos, conhecidas popularmente como “Doença do carrapato”. Conheça mais a respeito dessas doenças abaixo: 

Babesiose canina 

A Babesiose canina é causada por hematozoários (protozoários que se reproduzem dentro das células sanguíneas) do gênero Babesia (Babesia canis e Babesia gibsoni). Os carrapatos da espécie Rhipicephalus sanguineus são os principais vetores da doença. Também há possibilidade de transmissão da Babesiose através de transfusão sanguínea com animais contaminados. 

A transmissão 

O carrapato transmite a Babesia spp através de sua saliva, ao se alimentar do sangue do hospedeiro (cão). Normalmente, a transmissão ocorre após o parasita permanecer neste processo por um período que possui, em média, três dias. Desta forma, a presença do parasita na circulação do hospedeiro ocorre de um a dois dias após esse período, tendo uma duração que varia de 10 a 14 dias. 

Manifestação da doença 

A Babesiose se manifesta de forma hiperaguda, aguda ou crônica. Alguns cães podem não apresentar sintomas, a manifestação dependerá da cepa infectante e do estado de saúde do animal. 

A fase hiperaguda é caracterizada pela presença de desequilíbrios fisiológicos, como acidose metabólica, redução de fluxo sanguíneo e reação inflamatória. Na fase aguda, o animal pode apresentar diarreia, comportamento apático, anemia hemolítica, febre, diminuição do número de plaquetas e icterícia (pele e mucosas amareladas). Na fase crônica, o cão pode apresentar quadros intermitentes de febre, falta de apetite, perda de peso, inchaço e aumento anormal no volume do baço.  

Erliquiose 

A Erliquiose também é transmitida por carrapatos, mas é causada por bactérias do gênero Ehrlichia sp., incluindo a E. canis, E. ewingii e E. chaffeensis. A infecção por E. canis é a mais comum em cães domésticos, provocando o enfraquecimento do sistema imunológico (imunossupressão) nos animais. Embora o principal transmissor seja o carrapato Rhipicephalus sanguineus, a bactéria E. canis já foi identificada em outras espécies de carrapatos. Além disso, também há a possibilidade de ser transmitida por transfusão sanguínea, assim como a Babesiose canina. 

Manifestação da doença 

A Erliquiose canina apresenta-se de diferentes formas, de acordo com os sinais clínicos apresentados, podendo ser assintomática, aguda e crônica. A fase aguda ocorre de 1 a 3 semanas após a infecção e dura de 2 a 4 semanas. 

Os principais sinais clínicos são depressão, anorexia, fraqueza, perda de peso, febre, presença de carrapatos no corpo do animal, secreção nasal e ocular, presença de pequenas manchas vermelhas ou marrom na pele, sangue na urina, edema de membros, vômitos, tosse, insuficiência hepática e renal, palidez de mucosas, hemorragia sub-retinal, deslocamento de retina e cegueira. 

Prevenção 

Apesar de serem doenças sérias, a Babesiose e a Erliquiose podem ser prevenidas. É importante verificar diariamente a pelagem do seu amigo de quatro patas, pois os carrapatos ficam fixados na pele, escondidos entre os pelos. Mantenha limpo o ambiente em que o seu pet vive, mantenha a grama cortada e evite levar o pet para ambientes desconhecidos ou ter contato com cachorros de rua. Você também pode pedir ao seu médico-veterinário que prescreva produtos ectoparasiticidas. 

As duas doenças podem levar o animal a óbito. Por isso, fique atento aos sinais clínicos e leve o seu pet ao médico-veterinário, se necessário. Por meio de exames de sangue, é possível detectar o tipo de doença e definir um tratamento adequado. Afinal, quanto mais cedo iniciar os cuidados, maiores são as chances de cura. 

No blog da Organnact, você encontra mais dicas e cuidados para a saúde do seu pet. Todas as semanas temos novos textos com informações muito importantes.
 

CATEGORIAS DO BLOG
PESQUISAR
ASSINE NOSSA NEWSLETTER!

    Veja Também

    Desenvolvido por: Jobspace