Blog PET

< voltar
17.02.2022 | Dicas

Dia do gato: confira mitos e verdades sobre esse pet incrível

Você conhece seu gato de verdade? Tem certeza? Veja alguns fatos e mentiras sobre os bichanos

Ouvimos algumas frases desde pequenos sobre gatos. Enquanto logo percebemos que algumas delas não passam de besteira, outras são mais difíceis de serem desbancadas. Veja se você está por dentro do comportamento felino ou se será surpreendido por alguma explicação:

1. Todos os gatos odeiam água

A maioria dos gatos domésticos não gosta de entrar na água, mas sempre há aqueles que pulam na banheira voluntariamente e ronronam, enquanto são massageados por seus tutores. Você já deve ter visto um ou dois vídeos na internet mostrando uma cena assim.

A aversão à água está relacionada, principalmente, à origem dos felinos. Os gatos domésticos são originários de regiões desérticas. Por isso, ao longo da evolução, não foram expostos a rios, lagos e chuva. Dessa forma, evoluíram evitando contato com a água. Portanto, pode-se afirmar que fugir da água é um instinto natural dos gatos.

Se você precisar dar banho no seu gato por recomendação médica, use reforço positivo com petiscos e brincadeiras.

2. Gatos não são carinhosos

Gatos domésticos são, por natureza, mais independentes do que cães. Na maioria das vezes, os gatos demonstram menos sinais de estresse quando os donos saem de casa e menos empolgação quando retornam, em comparação com os cães. Mas todo dono de gato sabe que eles conseguem ser extremamente amorosos quando querem e adoram pedir carinho.

Essa diferença de comportamento entre cães e gatos pode ser explicada porque os cães evoluíram em grupo, protegendo e acompanhando os humanos, enquanto os gatos selvagens passavam a maior parte do tempo caçando e solitários.

3. Gatos nunca caem de costas

É muito mais provável que um gato caia sobre as quatro patas do que de costas, mas isso não é impossível. Eles conseguem fazer uma volta de 180º rapidamente por conta dos reflexos instantâneos que têm.

Mas médicos-veterinários estão de prova que gatos caem, sim, de costas, pois alguns dos pacientes que chegam a eles têm ferimentos que condizem com esse tipo de queda. Por isso, a recomendação é a de instalar redes de segurança para pets em janelas e sacadas que não estão no nível térreo, para evitar quedas e ossos quebrados.

4. Gatos têm sete (ou nove) vidas

É óbvio que gatos só têm uma vida, mas de onde veio essa frase? Há várias hipóteses, desde o Egito Antigo até uma peça de William Shakespeare.

No Egito Antigo, gatos eram vistos como animais sagrados e eram adorados como se fossem divindades, com poderes sobrenaturais. Sua agilidade, reflexos e visão muito superiores aos dos humanos contribuíram para que eles fossem considerados como quase imortais. 

Não se sabe quando e como, exatamente, surgiu a frase de que gatos têm várias vidas, mas é interessante observar que esse número varia conforme a região geográfica. 

No Reino Unido e na América do Norte, diz-se que os bichanos têm nove vidas, e Shakespeare, em 1591, utilizou essa expressão na peça de Romeu e Julieta, em um trecho que diz: “Meu caro Rei dos Gatos, quero apenas uma de suas nove vidas”. Já na Espanha, Portugal e América Latina, é mais comum ouvir que eles têm sete vidas.

As características associadas ao instinto de sobrevivência podem justificar a crença de que os felinos possuem “sete vidas”. A agilidade, a resistência, o equilíbrio, a esperteza, a flexibilidade, além da excelente audição e visão, contribuem para os gatos se livrarem de situações perigosas, que podem colocar sua vida em risco. 

Mas, como sabemos, os gatos têm apenas uma vida, por isso é importante que eles recebam cuidados que garantam  segurança e qualidade de vida. 

5. Gatos só ronronam quando estão felizes

Gatos costumam ronronar quando estão satisfeitos, mas essa não é a única ocasião em que isso acontece. Eles também produzem esse som quando estão com medo ou com dor, como uma forma de autoconforto.

O ronronar é produzido pelos músculos das pregas vocais, que vibram e são separadas quando o gato inspira e expira.

6. Gatos enxergam no escuro total

Gatos não conseguem ver na escuridão total, mas conseguem enxergar em ambientes com pouca luz. Os olhos deles são oito vezes mais sensíveis à luz do que os olhos humanos.

Isso porque as córneas dos gatos são muito mais finas que as nossas e as pupilas deles se abrem muito mais do que as nossas, permitindo a maior entrada de luz. Já na retina, também há mais bastonetes, células que detectam a intensidade da luminosidade.

 

Quer saber mais sobre nossos amados pets? Continue acompanhando o blog da Organnact. Clique aqui para conferir mais postagens!

 

CATEGORIAS DO BLOG
PESQUISAR
ASSINE NOSSA NEWSLETTER!

    Veja Também

    Desenvolvido por: Jobspace