< voltar
13.07.2022 | Cuidados

Meu cão é diabético? Quais os sintomas e como prevenir

diabetes em cães

A diabetes é uma doença crônica que também atinge os cães

Como saber se seu cão tem diabetes? Esta doença crônica não ocorre apenas em humanos, na verdade tem sintomas muito semelhantes e pode causar uma série de complicações. Continue lendo para saber como prevenir a diabetes em cães. 

A diabetes em cães 

A diabetes canina é semelhante à de humanos, consiste em um distúrbio metabólico no qual o organismo não consegue produzir ou utilizar adequadamente a insulina – hormônio responsável por controlar a quantidade de glicose no sangue.  

Por consequência, o pet apresenta quadros de hiperglicemia persistente, ou seja, níveis elevados de glicose no sangue que podem causar sérios problemas de saúde. 

Principais fatores que predispõem os cães ao desenvolvimento da doença: 

  • Genética;
  • Obesidade; 
  • Alimentação desequilibrada; 
  • Sedentarismo; 
  • Doenças endócrinas; 
  • Desequilíbrios hormonais;
  • Uso frequente de determinados medicamentos. 

Sintomas da diabetes em cães 

Os sinais clínicos da diabetes mellitus dependem do tipo, grau e das condições precedentes ao início da insuficiência de insulina, porém os mais frequentes são: 

  • Produção excessiva de urina (Poliúria); 
  • Aumento da frequência de ingestão de água (Polidipsia);
  • Aumento do apetite (Polifagia); 
  • Desânimo, cansaço (Letargia);
  • Perda de peso.

As consequências da diabetes incluem cegueira resultante da formação da catarata, pancreatite crônica, insuficiência renal, infecções do trato urinário, do sistema respiratório e da pele.  

O reconhecimento destas complicações auxilia no diagnóstico e tratamento adequado da doença. 

Prevenção 

Apesar da predisposição genética influenciar significativamente no surgimento da diabetes canina, alguns cuidados podem prevenir o seu desenvolvimento. Por isso, listamos algumas dicas que podem te auxiliar na manutenção da saúde do seu pet: 

  • Alimentação completa e balanceada, de preferência com alto teor de umidade, para auxiliar na saciedade do seu filho de quatro patas; 
  • Busque fornecer alimentos com baixo teor de carboidratos e alto teor de proteínas de qualidade e alta digestibilidade; 
  • Estimular a prática de atividade física: levar o cão para passear e gastar energia, por pelo menos 30 minutos diariamente;
  • Evitar o abuso de petiscos, não extrapolar o fornecimento de 10% da quantidade de calorias diárias; 
  • Pesar o animal com frequência para controlar o ganho de peso; 
  • Fornecer alimentos ricos em fibras para auxiliar na saúde intestinal e na saciedade. 

O acompanhamento com um médico-veterinário é importante tanto para a prevenção quanto para o tratamento da doença. 

Gostou do conteúdo? No blog da Organnact, você confere mais dicas que vão te ajudar no dia a dia com os bichinhos. Acesse!

CATEGORIAS DO BLOG
PESQUISAR
ASSINE NOSSA NEWSLETTER!

    Veja Também